Talento e atitude: dupla infalível para o sucesso

Comportamento é atitude, e aliar boas atitudes ao talento nato de cada um costuma ser receita imbatível para o sucesso.

O talento pode ser um smartphone de última geração nas mãos de alguém que nunca mexeu no celular: se não souber usar, não servirá para muita coisa. Mas, calma! É possível identificar talentos e buscar os melhores resultados: tudo, porém, passa pelo comportamento de cada um.

Atitudes comportamentais estão menos relacionadas com a formação acadêmica/escolar e mais ligadas àquilo que aprendemos dentro de casa. A velha distinção entre educação e aprendizado.

Educação vem de casa, molda nosso caráter e condiz com nossas atitudes. Comportamento é atitude, e aliar boas atitudes ao talento nato de cada um costuma ser receita imbatível para o sucesso.

Laços familiares contam muito no modo como vamos agir durante toda a vida, inclusive no mercado profissional. A relação com os irmãos, a obediência e os conselhos de pais, avós e tios. E tudo aquilo que conseguimos absorver de positivo na infância e na adolescência.

Atenção para a dica de ouro deste artigo:

Mesmo moldado desde a infância e com forte influência do que se viveu dentro de casa, é possível sim mudar o nosso comportamento depois de adulto. Mas, isso vai depender única e exclusivamente da gente! Precisa desejar demais esta mudança.

Mora aí um grande problema: é inegável o talento que muita gente tem, mas é visível a facilidade das pessoas em escorregar em suas próprias fraquezas. Com a dificuldade, acusam o golpe, caem na lona e esbravejam dizendo ser impossível mudar. Como assim?

Primeiro que, para Deus, nada é impossível, e posso dizer que sou prova viva disso: nós podemos e nós conseguimos mudar os nossos comportamentos, as nossas atitudes, e os benefícios da mudança estimulam a continuidade do caminho do bem, da coisa certa, do foco e da determinação. Um homem e uma mulher determinados conquistam tantas coisas boas com as próprias mãos que é simplesmente improvável uma nova queda, um retrocesso, uma retorno para um lugar o qual sempre se tinha almejado sair.

Para encarar este processo fabuloso de otimização de talentos, comece reconhecendo a necessidade da mudança. Aceite que seu comportamento não está legal. Eu fiz isso, e digo com certeza que você pode fazer.

Vou dar um exemplo pessoal: eu identifiquei muito cedo o meu talento, mas tinha muita pressa de fazer acontecer, atropelava as pessoas ao meu redor. Sabe o que aconteceu? As pessoas se afastaram de mim, inclusive os meus grandes amores, que são os meus pais, a minha esposa e o meu filho.

Eu era agressivo, respondia rispidamente, havia imposição sobre o que eu considerava ser certo e discordava de tudo e de todos sem pestanejar. O famoso “Dono da Razão”. Começava a entender perfeitamente ali, com o afastamento de pessoas queridas, que era hora de mudar o meu comportamento. Aquilo me fazia mal, afetava minha autoestima e vinha afundando todo meu talento e a minha capacidade de transformar a vida das pessoas no mundo corporativo.

Com essa autorreflexão, iniciei um processo de mudança. Meu casamento melhorou, a relação com meu filho melhorou, o respeito que eu tenho com os meus pais melhorou, a relação que eu tenho com os meus irmãos melhorou, com os meus clientes também. Mas, antes disso tudo, eu tive que aceitar que o problema era comigo e não com os outros.

LEIA MAIS:

Muitas vezes achamos que o problema sempre está no outro, o outro que tem que mudar. Não! Quem muda é você porque, se você mudar, o outro vai perceber, e ele também vai se encaixar. Mas, você pode perguntar: e se o outro não mudar? Aí quem estará perdendo é ele, e não você.

Esse tema, inclusive, tem me inspirado a escrever meu novo livro, em que comento o poder de uma semente: quando eu estou mudando, estou plantando uma nova semente na vida do outro a partir da minha mudança, essa semente vai produzir, talvez não no tempo que eu queira, mas vai produzir.

Por fim, para você que busca mudanças, deixo aqui 3 dicas valiosas que vão ajudar neste reencontro com seu talento próprio: a primeira delas é identificar o seu comportamento inadequado. Peça ajuda para alguém de confiança, ela poderá agir com sinceridade e revelar no que você tem pecado diante de seus comportamentos. Depois disso, efetue a mudança sendo monitorado por alguém também de confiança: esta pessoa fará uma avaliação fria sobre os seus altos e baixos, saberá dizer se realmente você está de fato mudando.

Finalmente, a última dica, importantíssima: não tente mudar tudo de uma única vez, esse é um grande desespero do ser humano! Às vezes você viveu uma vida inteira com um tipo de comportamento e quer mudar tudo de uma hora para outra. Isso não dá certo. Compreenda a essência da mudança, perceba a evolução e mantenha o foco nela. Seu talento será multiplicado, assim como o seu contentamento no viver.

 

Conheça minha história

CLIQUE AQUI

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.